Notícia

17 de Julho, 2014

Dom Paglia aos bispos da África Central, destaca a centralidade da família

O Presidente do Pontifício Conselho para a Família, o Arcebispo Vincenzo Paglia, pronunciou-se nos dias passados na X Assembléia Geral da Associação das Conferências Episcopais da África Central (ACERAC)

“Existe uma cultura individualista na raiz da crise da família, presente também na realidade africana. Por isto também neste continente é necessário repropor o valor da instituição familiar no centro da vida da Igreja e da sociedade”. Foi o que afirmou o Presidente do Pontifício Conselho para a Família, o Arcebispo Vincenzo Paglia, ao pronunciar-se nos dias passados na X Assembléia Geral da Associação das Conferências Episcopais da África Central (ACERAC), realizada em Brazzaville, Congo.

O prelado citou o estudioso africano Albert Tévoédjrè, que em seu livro afirma: “Para os cristãos leigos, na África agitada por várias correntes, defender a família como desejada por Deus, não é somente um ato coerente com a sua fé”, mas significa “preservar o próprio fundamento da sociedade e de um autêntico desenvolvimento”. Infelizmente, ao invés disto – observou Dom Paglia - as ameaças à família na África são hoje inumeráveis, como “a dissolução da moral, os ataques à unicidade do matrimônio; a instabilidade das relações entre os membros da família; a proliferação das uniões de fato, mas também a pobreza e o aumento do desemprego, o que não permite aos pais assumir a sua responsabilidade”. E a situação é ainda mais grave em um continente onde a família sempre foi o fundamento da sociedade, um lugar de formação e de transmissão dos valores culturais e espirituais.


Neste sentido, o Presidente do Pontifício Conselho para a Família ressalta a necessidade de se construir e reforçar “fortes laços entre as gerações e de se construir uma rede de solidariedade entre as crianças, jovens e anciãos”. “E isto vale para a África, assim como para a Europa e o resto do mundo”, advertiu Dom Paglia. “As outras instituições públicas, políticas, econômicas, jurídicas e culturais – concluiu o prelado – deveriam seguir o exemplo da Igreja Católica, ao colocar a família no centro de suas preocupações e de suas decisões”.

Recordamos que ontem, quarta-feira, 16, foi aberta em Lilongue, no Malaui, a 18ª Assembléia Plenária da Associação das Conferências da África Oriental (AMECEA). O tema escolhido foi “A nova evangelização através uma verdadeira conversão e o testemunho da fé cristã”. Entre os relatores, também estará Dom Paglia, na sessão de sexta-feira, 18 de julho, falando sobre o tema “A pastoral familiar hoje”. 


Fonte: News.va