Notícia

21 de Julho, 2014

Encontro do Papa com os idosos em setembro

“Existe uma vocação particular para os idosos e para os avós na sociedade e na Igreja”, afirmou Pe. Andrea Ciucci, do Pontifício Conselho para a Família

“Existe uma vocação particular para os idosos e para os avós na sociedade e na Igreja”, afirmou Pe. Andrea Ciucci, do Pontifício Conselho para a Família ao destacar o encontro que o Papa Francisco terá com milhares de idosos na Praça de São Pedro no próximo dia 28 de setembro; uma iniciativa que nasceu do próprio Santo Padre. Em declarações à agência ACI em inglês o sacerdote recordou que muitas vezes o Papa chamou a atenção para a importância das pessoas idosas, como quando disse que “o cuidado que se dá aos idosos, assim como o que se dá às crianças, é um indicador da qualidade de uma comunidade”. “Quando os idosos são jogados fora, quando são isolados e às vezes se desvanecem pela falta de cuidado, é um sinal terrível”.


Por isso, destacou o sacerdote a importância do encontro chamado “A bênção de uma vida longa”, onde se espera que participem milhares de idosos e avós vindos da Itália, de outros países da Europa e provavelmente do resto do mundo. Inclusive aqueles muitos que, embora não possam assistir fisicamente, participarão através da Internet e da televisão. “É muito importante para nós e para as famílias do mundo chamar a atenção de todos para esta etapa da vida”, afirmou. “As pessoas mais velhas e os avós não são apenas parte do cuidado pastoral”, mas têm “uma vocação particular”. Nesse sentido, disse que além de serem transmissores da fé e de serem uma ajuda para os pais, “há outras áreas igualmente importantes a serem consideradas, como a oração do idoso, dos avós, e a transmissão do Evangelho”.


Além disso, acrescentou, podem ajudar a compreender que o enfraquecimento da vida não é uma tragédia final, mas é “o testemunho da esperança no mais além”. Ser idoso, afirmou, “é ‘uma vocação’, para transmitir a fé, para rezar, para ler as Sagradas Escrituras, para promover uma cultura da esperança, para promover uma cultura da fé compartilhada, compartilhar uma maneira de permanecer no mundo para as novas gerações”.


Fonte: News.Va