Notícia

22 de Setembro, 2014

Evangelho deste domingo estabelece diferença entre a justiça humana e a de Deus

Princípio da justiça de Deus é tratar as pessoas do mesmo modo

A liturgia deste domingo (21), Is 55, 6-9; Fil 1,20-24-27; Mt 20,1-16, convida todos a perceberem que a justiça da sociedade é diferente da justiça de Deus, cujo princípio é tratar as pessoas do mesmo modo.

Segundo o evangelho, "Pois o Reino dos Céus é como o proprietário que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. Combinou com os trabalhadores a diária e os mandou para a vinha. Em plena manhã, saiu de novo, viu outros que estavam na praça, desocupados, e lhes disse: ‘Ide também vós para a minha vinha! Eu pagarei o que for justo’. E eles foram. Ao meio-dia e em plena tarde, ele saiu novamente e fez a mesma coisa. Saindo outra vez pelo fim da tarde, encontrou outros que estavam na praça e lhes disse: ‘Por que estais aí o dia inteiro desocupados?’ Eles responderam: ‘Porque ninguém nos contratou’. E ele lhes disse: ‘Ide vós também para a minha vinha’. Ao anoitecer, o dono da vinha disse ao administrador: ‘Chama os trabalhadores e faze o pagamento, começando pelos últimos até os primeiros!’ Vieram os que tinham sido contratados no final da tarde, cada qual recebendo a diária. E m seguida vieram os que foram contratados primeiro, pensando que iam receber mais. Porém, cada um deles também recebeu apenas a diária. Ao receberem o pagamento, começaram a murmurar contra o proprietário: ‘Estes últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o peso do dia e o calor ardente’. Então, ele respondeu a um deles: ‘Companheiro, não estou sendo injusto contigo. Não combinamos a diária? Toma o que é teu e vai! Eu quero dar a este último o mesmo que dei a ti. Acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence? Ou estás com inveja porque estou sendo bom?’ Assim, os últimos serão os primeiros.” 

"O profeta Isaías nos alerta quanto à necessidade de buscarmos o Senhor e de abandonarmos os projetos injustos que arquitetamos, mostrando que não podem ser pensados como medidas humanas, mas sim segundo os desígnios de Deus. Seguindo a mesma lógica, São Paulo nos alerta dizendo que “só uma coisa importa: vivei à altura do evangelho de Cristo”(Fl 1, 27), disse o Reitor da Basílica Santuário do Senhor do Bonfim, padre Edson Menezes da Silva, durante a homilia. 

Padre Edson também fez um alerta. "Devemos repensar o  modo de conduzir a nossa vida, de proceder e agir com as pessoas, de julgar e retribuir as suas ações, de recompensar e reconhecer o seu trabalho. Devemos tomar consciência da desigualdade brutal que existe entre o salário de um trabalhador braçal e de um  executivo, de um professor do ensino fundamental e de um político, de um jogador de futebol ou um cantor e de uma pessoa que fez um mestrado ou doutorado e tantas outras comparações que conforme a nossa realidade social e a nossa percepção, poderemos fazer".

"A maneira de Deus agir não se iguala a nossa. Ele, ao olhar para cada pessoa, procura atender as suas necessidades vitais.  Sua justiça é carregada de misericórdia, de compaixão e de sensibilidade para atender as reais necessidades da pessoa humana.  Aprendamos com ele a sermos mais justos e mais solidários. Mais sensíveis às necessidades do outro", finalizou.

Por: Anna Carolina Lima