Notícia

28 de Abril, 2014

João Paulo 2º e João 23 são canonizados no Vaticano

Milhares de fiéis acompanharam neste domingo (27) na Praça São Pedro, no Vaticano, a cerimônia de canonização dos papas João Paulo 2º, polonês, e João 23, italiano.

Milhares de fiéis acompanharam neste domingo (27) na Praça São Pedro, no Vaticano, a cerimônia de canonização dos papas João Paulo 2º, polonês, e João 23, italiano. A partir de agora, os dois serão conhecidos dentro da igreja católica como São João Paulo 2º e São João 23.

"Declaramos e definimos como santos os beatos João XXIII e João Paulo II e os inscrevemos no Catálogo dos Santos, e estabelecemos que em toda a Igreja sejam devotamente honrados entre os Santos", foi a fórmula pronunciada em latim pelo Papa Francisco durante o ritual de canonização.

A cerimônia contou com a presença do atual Papa Francisco, que logo após o ritual de canonização presidiu uma missa. Estiveram presentes também o Papa Emérito Bento XVI, que renunciou no ano passado, cerca de 150 cardeais, 6 mil padres e autoridades internacionais de 93 países.

"Estes foram dois homens de coragem... e deram testemunho diante da Igreja e do mundo da bondade e misericórdia de Deus", disse Francisco. "Eles viveram os trágicos acontecimentos do século XX, mas não foram oprimidos por eles. Para eles, Deus era mais poderoso, a fé era mais poderosa."

Ambos os pontífices, que tiveram suas beatificações solicitadas após a morte por aclamação, atravessaram nos últimos anos um processo de canonização, requisito “sine qua non” para se tornar um santo católico.

João Paulo II foi canonizado nove anos após sua morte. O segundo milagre atribuído ao polonês Karol Wojtyla, que nasceu em 1920 e liderou a Igreja Católica entre 1978 e sua morte, foi reconhecido pelo Vaticanox em julho do ano passado. Porém ao polonês são atribuídos centenas de milagres, embora para sua beatificação, em 2011, tenha sido imprescindível o caso da freira francesa Marie Simon Pierre, que sofria de Parkinson (a mesma doença que João Paulo II tinha) e cuja cura, de acordo com os médicos externos convocados pelo Vaticano, “carece de explicação científica”.

Já João XXIII, que foi Papa entre 1958 e 1963, foi canonizado com apenas um milagre comprovado, foi atribuído em 2000 com a cura da religiosa italiana Caterina Capitani, que esteve a ponto de morrer por uma perfuração gástrica hemorrágica com fístula externa e peritonite aguda. 

Por: Anna Carolina Lima