30 de Maio de 2018

Papa: a Crisma é marca espiritual indelével, que configura mais perfeitamente a Cristo

Com a presença de milhares de fiéis na Audiência Geral, Francisco deu sequência às catequeses sobre o Sacramento da Crisma


Papa: a Crisma é marca espiritual indelével, que configura mais perfeitamente a Cristo

O Papa Francisco deu sequência ao ciclo de catequeses sobre o Sacramento da Crisma, na Audiência Geral desta quarta-feira, 30. Milhares de fiéis e peregrinos estiveram presentes na Praça São Pedro.

Na catequese, o Santo Padre recordou que, antes de receber a unção espiritual que confirma e reforça a graça do Batismo, o crismando é chamado a renovar as promessas que um dia foram feitas em seu nome pelos pais e padrinhos. “Agora, é o próprio fiel a professar a fé da Igreja, pronto a responder «creio» às perguntas que lhe faz o bispo, em particular que está disposto a crer no Espírito Santo”, disse.

O Sacramento da Crisma, explicou o Papa, realiza-se com a imposição das mãos do bispo sobre os crismandos, enquanto suplica a Deus que infunda o Espírito Paráclito. A este gesto bíblico, para melhor expressar a efusão do Espírito Santo, se acrescentou a unção do óleo perfumado, chamado crisma.

Segundo ele, “o óleo é substância terapêutica e cosmética, que entra nos tecidos do corpo, cura as feridas e perfuma os membros”. Depois da imposição das mãos, a fronte de cada um é ungida seguida das palavras: «Recebe, por este sinal, o Espírito Santo, o dom de Deus».

De acordo com Francisco, a Crisma é a marca indelével que une a Cristo. “O crismando recebe uma marca espiritual indelével, o «caráter», que o configura mais perfeitamente a Cristo e lhe dá a graça de espargir entre os homens o bom perfume de Cristo. O Espírito é um dom imerecido, a ser acolhido com gratidão, fazendo espaço à sua criatividade inesgotável. É um dom a ser protegido com cuidado e respeitado com docilidade, deixando-se plasmar, como cera, pela sua caridade ardente, para refletir Jesus Cristo no mundo de hoje”, afirmou.

Por fim, o Papa recordou que no dia 31 de maio conclui-se o mês dedicado a Virgem Maria: “Que a Mãe de Deus seja o refúgio nos momentos felizes, assim como nos momentos mais difíceis. E seja a guia de suas famílias, para que se tornem um lar de oração, de recíproca compreensão e de dom.”

Fonte: Amex, com Rádio Vaticano


19

Dez

Confraternização dos Voluntários do Projeto Bom Samaritano

Local: Casa 49

20

Dez

Missa com a participação dos ambulantes

Local: Basílica Santuário do Senhor do Bonfim

24

Dez

Missa da noite do Natal

Local: Basílica Santuário do Senhor do Bonfim