Notícia

25 de Agosto, 2014

Papa fala da fé 'fiável' de Pedro, convida os fiéis a rever a genuidade da própria fé e recorda Ucrâ

Papa Francisco esteve na Praça de São Pedro, por ocasião do Angelus com milhares de romanos e peregrinos

Cada cristão, cada batizado, está chamado a oferecer a Jesus a sua própria fé, sincera, para que Ele possa construir a sua Igreja – sublinhou o Papa Francisco neste domingo, ao meio-dia, na Praça de São Pedro, por ocasião do Angelus com milhares de romanos e peregrinos. O Papa recordou que neste dia os ucranianos celebram a sua festa nacional, fazendo votos de que se supere no país a situação de tensão e conflito que tantos sofrimentos tem provocado na população.


Na sua alocução, Papa Francisco comentou o Evangelho deste domingo (Mateus 16), em que Simão, em nome dos Doze, professa a sua fé em Jesus como “o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Considerando “feliz” por esta sua fé, reconhecendo nela um dom do Pai, Jesus atribui-lhe um novo nome – Pedro (Kefa), Rocha. Palavra que a Bíblia referia a Deus. Jesus aplica-a a Simão, não pelas suas qualidades ou méritos humanos, mas sim pela sua fé genuína e firme, que lhe vem do alto.


Jesus – observou o Papa – sente uma grande alegria, porque reconhece em Simão a mão do Pai, a ação do Espírito Santo. Reconhece que Deus Pai deu a Simão uma fé fiável, sobre a qual Ele, Jesus, poderá construir a sua Igreja, isto é, a sua comunidade. Para iniciar a sua Igreja, Jesus tem necessidade de encontrar nos discípulos uma fé sólida,fiável.
“O Senhor tem em mente a imagem da construção, a imagem da comunidade como um edifício. É por isso que, quando sente a profissão de fé nítida de Simão, o chama rocha, e exprime a intenção de construir a Igreja sobre esta fé”:.

O que aconteceu de modo único em São Pedro, acontece também em cada cristão que matura uma fé sincera em Jesus o Cristo, o Filho do Deus vivo. O Evangelho de hoje interpela também cada um de nós.Se o Senhor encontrar no nosso coração uma fé – não digo perfeita, mas sincera, genuína, então Ele vê também em nós pedras vivas com as quais construir a sua comunidade.


A pedra fundamental desta comunidade é Cristo, pedra angular e única. Pela sua parte, Pedro é pedra, enquanto fundamento visível da unidade da Igreja – observou ainda o Papa, sublinhando que “cada baptizado está chamado a oferecer a Jesus a própria fé, pobre mas sincera, para que Ele possa continuar a construir a sua Igreja, hoje, em cada parte do mundo.
E o Papa concluiu a sua alocução, antes da reza do Angelus, convidando todos os presentes na Praça de São Pedro a professarem a sua fé em Cristo, Filho do Deus vivo”… com ele repetindo, três vezes, as palavras de Pedro…

Foi depois da recitação das Ave Marias que Papa Francisco dirigiu o seu pensamento (disse) “à amada terra da Ucrânia” (onde se celebra hoje a festa nacional), “a todos os seus filhos e filhas, às sua aspirações de paz e serenidade, ameaçados por uma situação de tensão e de conflito que tarda a placar-se, gerando tanto sofrimento entre a população civil.”
Confiemos ao Senhor Jesus e a Nossa Senhora toda a Nação e rezemos unidos sobretudo pelas vítimas, suas famílias e todos os que sofrem. Nas saudações finais aos diversos grupos de peregrinos presentes, o Papa exortou a que, tornando a suas casas, tratem de testemunhar a própria fé cristã.


Fonte: News.Va