Notícia

24 de Julho, 2014

Papa Francisco encontrará 50 mil coroinhas alemães em agosto

O Papa Francisco encontrará em 5 de agosto, às 18 horas, cerca de 50 mil coroinhas alemães

O Papa Francisco encontrará em 5 de agosto, às 18 horas, cerca de 50 mil coroinhas alemães, acompanhados por familiares, párocos e bispos, segundo informou a Conferência Episcopal Alemã. No dia 4 de agosto, na Sala Marconi da Rádio Vaticano, serão fornecidas maiores informações sobre a peregrinação, durante uma coletiva de imprensa.


No âmbito da Plenária da Conferência Episcopal alemã realizada em Münster, em março passado, foi apresentada a peregrinação conjunta nacional dos ministrantes alemães. A vinda a Roma de 4 a 8 de agosto é considerada como a primeira etapa da peregrinação dos ministrantes europeus que será realizada de 3 a 5 de agosto de 2015, na capital italiana. O evento, programado e organizado pelo Coetus Internationalis Ministrantium (CIM), terá como tema central o versículo do Profeta Isaías “Eis-me aqui, envia-me!”.


Esta peregrinação nacional terá a participação de 26 dioceses alemãs, da Arquidiocese de Viena e de um grupo proveniente da Letônia. Este ano o lema será “Livres! Porque é permitido fazer o bem”, inspirado no Evangelho de Mateus (Mt 12,12). A logomarca da peregrinação representa a Praça São Pedro tendo ao centro a palavra “Frei!” (‘livres’), circundada por dois semi-círculos não totalmente fechados, indicando uma relação de união e irmandade entre os homens, mas sobretudo em relação a Deus.


Na Alemanha existem cerca de 430 mil “ministrantes”. A figura do coroinha é uma das mais caras à história e à tradição secular da Igreja. O coroinha é uma criança ou adolescente, que realiza um serviço de assistência aos sacerdotes e aos diáconos durante a liturgia. É também aquele que, mediante um longo percurso de formação e de oração, passa a fazer parte da Igreja em uma união amorosa com Deus. Desde o Concílio Vaticano II este “pequeno padre” é definido como “ministrante”, por isto se fala de “Peregrinação dos Ministrantes”, do latimministrans, aquele que presta serviço.


Durante a Audiência Geral de 4 de agosto de 2010, Bento XVI acolheu 55 mil ministrantes de 17 países europeus, ocasião em que lhe foi apresentada uma estátua de São Tarcisio, padroeiro dos coroinhas. Tarcisio sofreu o martírio quando era adolescente. Ao levar a Eucaristia a cristãos na prisão, foi descoberto. Comprimiu então contra o peito o Corpo de Jesus para que este não caísse em mãos profanas. Então, foi assassinado.


Na Alemanha é muito importante a figura do ministrante dentro da Igreja. Cada diocese tem uma pastoral dedicada a eles, que têm uma coordenação nacional. Cada bispo tem um ou dois responsáveis pelos ministrantes. Após o Concílio, a Igreja alemã abriu as portas também às meninas. Grande parte dos ex-coroinhas alemães permanece ativo até o fim da universidade. Os ministrantes têm jornal, rádio e transmissões na TV. “Coroinha ou ministrante não é uma questão de palavra”, disse Dom Martin Gachter, Bispo Auxiliar de Basiléia e Presidente Europeu do CIM (‘Coetus internationalis ministrantium’).


Os ministrantes são a primeira organização católica da Alemanha. Na Igreja conquistaram espaços e admiração. Por este motivo, desde o início do terceiro milênio, com o Papa João Paulo II em 2001, eles dirigem-se a Roma em grande número para saudar e rezar pelo Bispo de Roma. Já de 25 de agosto a 31 de agosto, será realizada a “Peregrinação nacional dos ministrantes franceses”. (JE)


Fonte: News.Va