Notícia

12 de Novembro, 2014

Papa invoca uma mobilização das consciências para impedir as perseguições contra os cristãos

Papa pede também aos ministros da Igreja que se ponham sempre à escuta do povo

O Papa invocou «uma ampla mobilização de consciências a favor dos cristãos» que em diversas partes do mundo continuam a ser vítimas de «uma violência absurda» por motivo da sua fé. 

O apelo foi lançado por Francisco no final da audiência geral na praça de São Pedro, na quarta-feira 12 de Novembro. O Pontífice expressou «profunda proximidade espiritual às comunidades duramente atingidas» e encorajou «os pastores e fiéis a ser fortes e firmes na esperança», porque – afirmou – «eles têm o direito de encontrar nos próprios países segurança e serenidade, professando livremente a fé».

Precedentemente, Francisco pronunciou a catequese, dedicada como na semana passada, aos ministros da Igreja. Ditando aquela que ele mesmo definiu «a gramática de base de cada ministério», o Papa recomendou sobretudo acolhimento, sobriedade, paciência, mansidão, confiabilidade e bondade de coração, na base das quais indicou uma «atitude de fundo» que nunca devemos esquecer: isto é «consciência de que tudo é dom, tudo é graça». Enfim, uma chamada à humildade, que ajuda os pastores a «não cair na tentação de se pôr no centro da atenção», permanecendo, ao contrário, «à escuta do povo».

No final das saudações aos fiéis o Pontífice recordou o tratado entre Argentina e Chile assinado há trinta anos e os estudantes mexicanos assassinados pelos narcotraficantes. Antes de chegar à praça encontrou-se com os doentes na sala Paulo VI.


Fonte: News.va