Artigo

22 de Maio, 2014

Tempo de louvar e adorar a Deus e também de agradecer

Neste templo cristão, edificado “nesta colina sagrada”, para adorarmos ao Pai e glorificarmos o Filho, Filho que invocamos respeitosa e carinhosamente, chamando-O de Nosso Senhor do Bonfim.

Neste templo cristão, edificado “nesta colina sagrada”, para adorarmos ao Pai e glorificarmos o Filho, Filho que invocamos respeitosa e carinhosamente, chamando-O de Nosso Senhor do Bonfim, reunimo-nos diariamente para ouvir a Palavra do Senhor e saber que o Pai oferece não só a nós, ora aqui presentes, mas a todos os seus filhos.

Amados irmãos, estou aqui representado minha filha Bárbara Icó que, há seis meses, passou por grande sofrimento, quando Rodrigo, Renan, Ajuriaci e Geraldo sofreram graves queimaduras. Os dois primeiros, seus filhos, foram os mais atingidos. Mas Rodrigo passou por momentos muito difíceis.

  1. Hoje, aqui e agora, durante este culto sublime, louvamos, adoramos, mostramos confiança e fé em Deus. Esta fé que é solidificada pelo amparo que recebemos de Nosso Senhor do Bonfim, que escutou nossas fervorosas preces. Assim, também é tempo de agradecer, pelas dádivas que temos recebido, como a milagrosa cura dos quatro citados acidentados. A operacionalização da cura contou com competência e dedicação dos médicos. Também foi por demais valioso o aconchego de familiares, amigos e pessoas caridosas que nos cercaram de cuidados e participaram de nossas orações. A todos o eterno agradecimento de Bárbara e dos seus familiares. Na nossa alegria, resta-nos entoar o Salmo 18, 6: Na minha angústia invoquei ao meu Deus, lancei o meu grito; do seu templo ele ouviu minha voz, meu grito chegou aos seus ouvidos.

Por fim, encerro este agradecimento com passagens do canto de Maria Santíssima:

Minha alma engrandece o Senhor, o meu espírito exulta em Deus em meu Salvador...

Seu nome é santo e sua misericórdia perdura de geração em geração, para aqueles que o temem (Lucas, 1, 46 e 50).

DEUS SEJA LOUVADO.